sábado, 20 de agosto de 2011

Plainas, uma visão geral...

Fonte da imagen: Popular Woodworking

Num tópico do fórum GDM (Guia do Marceneiro), discutíamos as diferenças entre vários tamanhos e tipos de plainas. Muito já tinha sido falado, quando o Tomazelli fez uma explicação clara, curta e precisa da utilidade de cada uma das diferentes plainas. Ficou tão boa que pedi autorização para reproduzir esta "geral" aqui!

Segue abaixo:

"Para fins educativos eu gosto de dividir as plainas de bancada (bench planes) em três tipos básicos. 

Para acabamento ou smooth 
É toda plaina usada na etapa final, para dar à madeira um acabamento. As plainas usadas para dar acabamento geralmente são a #3, #4 e #4 1/2. Essas são plainas bem parecidas, com o tamanho variando pouco. 

#3: Plaina com 20 cm (8”) de comprimento, lâmina com 4.5 cm (1 3/4”) de largura. Pequena e limitada, interessante apenas se for usada para peças pequenas. 
#4: Plaina com 24 cm (9 1/2”) de comprimento, lâmina de 5 cm (2”) de largura. A mais comum das plainas de acabamento. 
# 4 1/2”: Plaina com 26,5 cm (10 3/8”) e comprimento, com lâmina de 6 cm (2 3/8”) de largura. Interessante para se usar em peças largas. 

O tamanho delas varia e deve ser adequado ao tipo de trabalho, se forem peças pequenas, umas #3 dá conta do recado, para peças maiores, uma #4, e para peças mais largas, uma #4 1/2 seria ideal. Essas plainas não precisam ser longas pois presume-se que as peças já estejam retas, prontas para dar acabamento. Nada impede que usemos uma #8 devidamente preparada para dar acabamento, mas o peso dela cansaria o operador. 

Como são plainas para acabamento vão ser usadas com muito pouco ferro exposto, comendo pouca madeira, e a boca delas deve ser bem fechada. Quanto mais fechada a boca de uma plaina, menor a possibilidade de lascar a madeira, assim, quanto mais fechada a boca, melhor. O quanto fechada? O mais fechada possível, deixando espaço suficiente para dar passagem ao cavaco e evitar entupimento. Pelo mesmo motivo devem ter uma base bem retificada, reta, principalmente na região anterior à boca da plaina. 

Plaina desempenadeira para desbaste 
É a plaina usada na etapa inicial de preparo da madeira. Antes mesmo de passar uma plaina maior para nivelar, desempenar realmente a madeira. As plainas desse tipos são a #5 e a #6. 

#5: A plaina tem 35,5 cm (14”) de comprimento, e lâmina com 5 cm (2”) de largura. 
#6: É uma plaina um pouco maior, com 45,5 cm (18”) de comprimento, lâmina de 6 cm (2 3/8”) de largura. Fica em um ponto intermediário entre as plainas para desbaste e as plainas para nivelar. 
#5 1/2: É uma plaina com a lâmina de 6 cm (2 3/8”) de largura, mas com um comprimento menor, de 37.5cm (14¾" ). É praticamente uma #5 com um lâmina mais larga. 

Como são plainas para desbaste onde vamos comer bastante madeira, usamos elas com baste ferro para fora, comendo bastante madeira, e por isso precisam de uma boca mais aberta para dar passagem a cavacos mais largos. Como são plainas para uso inicial, não exigem uma base tão perfeita quanto as plainas para acabamento. Em compensação pedem um ótimo ferro (lâmina), pois como vão ser usadas para desbaste grosso, o desgaste do ferro vai ser grande; o ideal é que seja um ferro feito de aço A2, um aço ferramenta ideal para aguentar o desgaste. 


Plaina para nivelamento ou jointer 
São as plainas usadas para nivelar a superfície. Por isso são plainas grandes, para que seu comprimento sirva de referência e permita que a superfície seja nivelada. A base da plaina não precisa estar espelhada e polida como as plainas de acabamento, mas deve estar perfeitamente reta pois se aplaina estiver torta vai produzir uma superfície igualmente torta. Aqui entram as plainas #7 e #8. 

#7: Tem comprimento de 56 cm (22”) e lâmina com 6 cm (2 3/8”) de largura. 
#8: Tem comprimento de 61 cm (24”) e lâmina com 6,7 cm (2 5/8”) de largura. 

Como são plainas que vão ser usadas para nivelar, depois que grandes empenamentos da madeira já foram retirados com uma plaina de desbaste, elas não precisam ter uma boca tão aberta, vão ter uma boca intermediária, entre uma plaina de desbaste e uma plaina de acabamento. 


Isso tudo em termos gerais, pois na marcenaria tudo é relativo, isso é uma das coisas que me fascina na marcenaria, pois cada peça é um caso diferente. Se eu estiver trabalhando e fazendo caixinhas, onde o comprimento das peças é de 20 ou 30 cm, não preciso usar uma plaina grande e pesada como uma #7 ou #8 para desempenar, posso perfeitamente usar uma #5 como jointer,; se forem peças menores ainda, posso usar mesmo uma #4 para desempenar. 

Outra ressalva a ser feita é com relação a #5. É uma das plainas mais versáteis, pode ser usada como jointer para peças pequenas, como plaina de desbaste para peças maiores, ou mesmo para acabamento desde que esteja com a base bem retificada e a lâmina bem afiada. 

Eu citei que a sequência de plainas é geralmente a de desbaste (#5) para tirar o empeno maior da madeira, depois a desempenadeira (#7 ou #8) para nivelar, e por último, antes de montar as peças uma plaina para acabamento (#4). Mas se a madeira estiver praticamente reta, se for uma madeira bem serrada, nem precisamos usar a plaina de desbaste (#5), podemos ir direto para a plaina desempenadeira (#7 ou #8). 

Mesmo que a peça esteja bem empenada, nada impede que usemos logo de início uma #7 ou #8, mas como são plainas mais pesadas e que comem menos madeira, vamos demorar mais, gastar mais tempo e energia com elas. Mais fácil é usar uma plaina de desbaste (#5) com bastante ferro exposto, tirar o empeno maior em poucas passadas e depois que a madeira estiver mais reta passar para a plaina desempenadeira. 

E por fim, isso tudo se tratando de trabalho manual. Se a pessoa possui uma desempenadeira e uma desengrossadeira, a plaina que ela vai usar mais será uma plaina de acabamento, uma #4. Se bem que uma #5, pela versatilidade dela, é sempre bom ter na marcenaria também. 

No caso da block é uma plaina com a lâmina ao contrário, com o chanfro do fio virado para cima, e que pode ser usada com apenas uma mão. É uma plaina também extremamente versátil, multi-uso e que eu deixo sempre dentro do cocho da bancada, uso para chanfrar bordas, retificar encaixes, aplainar áreas com veios difíceis (por ser menor é mais manejável), etc. Acredito que uma das coisas que a deixa tão versátil é que pode ser usada com apenas uma das mãos, deixando a outra mão livre para segurar a peça a ser trabalhada. Fazendo uma comparação tosca com um guerreiro de antigamente a block não seria a espada longa, usada com duas mãos, mas seria uma faca ou punhal usado sempre junto ao cinto, versátil e sempre à mão, usado em muitas coisas, tanto para cortar um pedaço de comida como para cortar uma corda, ou mesmo cortar a garganta do inimigo se fosse o caso. 

Grande abraço!

A. Tomazelli"

Não deixe de visitar o blog Madeira em Arte do Tomazelli (http://aluiziotomazelli.blogspot.com/) e o GDM (http://www.guiadomarceneiro.com/)


E no assunto "plainas", eu estou em fase final de tradução da matéria  "Understanding Bench Planes", do Christopher Schwartz e que foi publicado pela Popular Woodworking em outubro de 2008. Tudo devidamente autorizado por eles mesmos!

Henrique

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário